Sejam Bem-vindos Ao Meu Blogue!

Escrever é muito mais do que uma mera paixão, é uma parte de mim!
Na poesia, os pensamentos, as ideias e as emoções ganham vida própria, deixam de ser uma parte do autor e rompem a fronteira do "eu" , abraçando, assim, outras realidades, outras vidas.
Nélson J. Ponte Rodrigues

domingo, 1 de abril de 2018

Não se ama depressa. Ama-se devagar.


Não me enumeres tantas virtudes. Dá-me a conhecer antes os teus defeitos.
Nos meandros que rodeiam o teu ser, saberei se serei capaz de te amar. Eu prefiro o silêncio que não ensurdece a sensatez. Prefiro um olhar cru que te dispa, que me permita ver tudo aquilo que as palavras tentam esconder. 
As belas declarações de amor são mais genuínas quando não são ditas, mas sim sentidas.

Se aceitas e/ou entendes o meu lado mais sombrio, imagina o quão feliz serás quando conheceres o outro lado.

É tão fácil e confortável percorrer o caminho mais tranquilo em primeiro lugar. E depois? Conseguirás acompanhar-me quando o caminho ficar sinuoso? Perante a(s) primeira(s) tempestade(s), ficarás ou fugirás de imediato?
Amas o que eu sou ou a folia que te dou?

Este é um erro comum: amar o lado macio sem conhecer (ou desejar conhecer) o lado áspero também.
Não se ama metade de uma pessoa, pois não? Ama-se por inteiro.
Não se ama apenas ao fim de semana.
Ama-se durante todos os dias da semana. Não se ama metades. Não se ama às vezes.
O amor oscila, mas não tira férias. Só o tempo ensina a amar, a valorizar ou repudiar.
Não se ama depressa. Ama-se devagar. A paixão é o que muitos chamam de amor. Esta vive dos impulsos mais primordiais, idoletra declarações convencionais. Na verdade, as palavras quando o calor abunda entre dois corpos deturpam facilmente a realidade.

Queres amar-me (verdadeiramente)? Não faças como a maioria.
Observa, então, o que sou, não quem aparento ser, pois desta forma saberás quem sou sem filtros nem farsas encenadas.

Nélson José Ponte Rodrigues
01-09-2017



Amar!? Não!

O que muitos chamam de amor acaba um dia. A admiração supera tudo até o próprio tempo. 

Nos contos de fada, o amor é uma melodia perfeita. Desde quando existe perfeição no universo humano? 
A admiração torna certos humanos extraordinários e quase imortais. Logo, não quero encontrar um grande amor atualmente. Prefiro encontrar uma pessoa deslumbrante, que me fascine dia após dia. Que seja uma honra partilhar o mesmo espaço que ela. Amo-te.... não! Tal declaração nem sempre é dita com sinceridade. Qualquer vagabundo ou rameira a pode dizer. Admiro-te, meu amor! Eu prefiro a originalidade... sempre o fiz. É um hábito terrível para alguns!

Não te iludas, acredita nos factos. Deixa o romantismo nas salas de cinema. O amor etermo só existe na ficção. O que une verdadeiramente duas pessoas é a enorme admiração que sentem uma pela outra

Nélson José Ponte Rodrigues
24-09-2017

Habitua-te a ti mesmo!


Faz o que te apetece, o que te faz feliz sem nenhum arrependimento ou remorsos, pois um dia aprenderás que ninguém te considera imprescindível ou relevante. O mesmo sol que te iluminou e aqueceu um dia, possivelmente queimar-te-á mais tarde. Nada é garantido. Tudo pode mudar sem aviso prévio. Logo, sê o único autor da tua felicidade. 

Habitua-te a ti mesmo. É muito mais fácil apostar no novo. O velho cansa, aborrece. Certo?! Vivemos num mundo que (supostamente) instiga a reciclagem, a reutilização, a renovação... Na realidade, consome-se e deita-se fora o que já azedou, e até aquilo que ainda está bom. Troca-se de TUDO um pouco num ápice. 

E tu? Tens seguido esta tendência? Uau! És tão moderna, tão confiante, tão maravilhosa! És tão mundana e comum também. Afinal, não és assim tão extraordinária. Fica feliz por ti. Conseguiste... não me surpreender.

Nélson José Ponte Rodrigues
08-11-2017

A Traição Não Tem Perdão!

Quase tudo tem solução, menos a morte e a traição. Só te trai quem não te respeita ou aprecia verdadeiramente. Na amizade e no amor, lealdade e honestidade são vitais. Não posso perdoar aqueles que um dia me apunhalaram. E a vida continua bem mais límpida... Talvez Deus perdoe essas criaturas desprezíveis. Amigos e amantes não traem... Os verdadeiros e eternos, não! 

Nélson José Ponte Rodrigues
26 - 03 - 2018